...

00:54


Essa é a foto. Essa é a foto porque me lembra um momento... ou todos os momentos especiais que passei com minhas amigas. Elas são recorrentes nos textos e acho que pouquíssimas efetivamente os lêem. Mas não importa. Essa foto é da Adelaide Preguiçosa, uma sobremesa que já proporcionou milhares de encontros e memórias gostosas.

Estive com Mari neste fim de semana. Ela é minha tábua de salvação mais próxima, trocamos confidências, aumentamos nossa intimidade, vivemos coisas muito parecidas. Nossa necessidade de se encontrar cresce a cada dia, estipulamos prazos limites para as visitas, já que ela mora em outra cidade aqui do Rio. Estivemos juntas e as conversas não foram suficientes. Nunca são. Elas têm um prazo de validade definido, até que queremos trocar mais e mais palavras e sentimentos. E nosso último encontro foi tão intenso, nesse sentido, que foi percebido por outras pessoas. De poderosas a maravilhosas, éramos notadas por nossa atenção concentrada em nós mesmas; aproveitávamos o ambiente apenas para ocupar o espaço e nos servir dele. A conversa toda era nossa e em torno de nós, porque nós duas estamos sozinhas em nossos cantos. Nós duas fizemos esta escolha.

Acabei de ver dois episódios de Sex and the City. Pra quem leu o texto sobre o filme, já sabe que é impossível ver a série sem pensar nas amigas e em algum relacionamento, passado ou presente que tenha seus incômodos e momentos perfeitos. É isso o que segura a gente no dia-a-dia, é isso que nos faz agüentar as coisas todas de estar longe de todo mundo. Porque, para nós que estamos distantes, só resta lembrar e esperar, né?

Acabei de ler um texto de Paloma. Ela tá em Sampa, na mesmíssima situação que a minha: sozinha, sem trampo, estudando, se virando em mil pra continuar lá e tentando ao máximo isso tudo ao mesmo tempo com um sorriso no rosto. Mas nem sempre dá. A garganta aperta, a saudade bate... a distância de todo mundo. E eu, como ela, ainda dei sorte de conhecer meia dúzia de gente em cada canto. Pra Paloma eu digo: aqui também tá frio demais.

O episódio da série que vi hoje me fez lembrar de um monte de coisas e me deixou pensando. Em estar só, mais uma vez, em ter escolhido ficar só e de saber que não seria fácil. A essa altura, eu esperava já estar trabalhando em qualquer canto. Fico tensa com a idéia de voltar porque não deu pra continuar. Eu quero continuar e vou... nem que eu trabalhe em qualquer canto, em qualquer coisa. Porque eu gosto de morar só, como Paloma, eu gosto de ter o controle de mim e de minha casa... e eu sei viver bem estando só.

É que a questão é outra. Chega uma hora que cansa ficar sem fazer nada. Que os dias voltam a ficar iguais, como em Salvador eram e a gente reclamava tanto. Eu sei que nós fazemos nossos dias. E vou voltar a fazer os meus, aliás, já estou no caminho disso. Porque já sei o que eu quero fazer da minha vida. Já defini, já vi uma idéia que gostei. Quero seguir isso, mas a primeira etapa é essa aqui, a mais difícil, eu espero. Porque nas outras eu levarei essa como aprendizado. E se ficar longe é o único jeito, paciência. Com o que estou me propondo a ser, acho que não há muita opção. Carrego todo mundo no meu coração e espero poder encontrá-los de vez em quando, com mais conversas intermináveis e a vontade de ficar, sabendo que tenho que partir.

HISTÓRIAS SEMELHANTES

4 comentários

  1. e o pior de tudo, é que nem mar nem São João existe aqui para me salvar... :)

    ResponderExcluir
  2. bebêeeeeee....
    sodadi..texto bonito, lembra sex and the city obviamente..mas me deu um apeeeuto no colaçaummmm
    eu te amo amor
    respeito suas escolhas..inclusive me orgulho mto de vc por vc ser quem vc é..fiquei mega preocupada e sentida e deprimida aqui com todas as coisas que vc ja sabe..todo esses complexos familiares..relacionais..sociais enfim..rs..
    te amo viu amor..
    nao vejo a hora de vc chegar..
    cada qual com suas angustias..desafios..
    eu acredito em voce
    e vc broca
    e vai me sustentar..rs..
    brincadeiras a parte..
    te amo..saudade
    "vamo que vamo"
    concordo e apesar de não estar em suas condições sinto um misto de inveja, orgulho e vontade de estar em uma situação semelhante a sua..tirando o desemprego..rs..
    vamos dominar o mundo bebe..
    e quando a saudade apertar..e rolar aquele nó na garganta..ou mesmo o medo e a incerteza das coisas da vida..liga pra mim viuuu..nao sei se te darei segurança..mas minha mão te darei..
    ain..pieguices..te amo amor..saudade..vem logo..

    ResponderExcluir
  3. boa sorte, tati!

    e essa Adelaide Preguiçosa me deu agua na boca

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Acho que o melhor de tudo será quando um dia você olhar pra trás e sentir orgulho de si mesma porque optou pela sua escolha, pelo que queria e acreditava, e esses percalços da vida fazem parte. O gosto da vitória suada é bem melhor!
    se cuida querida
    super beijo

    ResponderExcluir

Contato | Parceria

Nome

E-mail *

Mensagem *