Verdade

09:43


A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.

Carlos Drummond de Andrade

* * *

Estava aqui, procurando coisas sobre meu companheiro aí de cima. Descobri um site oficial, cuja abertura é um filme de David Neves e Fernando Sabino. Depois do filme procurei mais coisas sobre o poeta e não encontrei... Mistérios a parte, minha surpresa foi imensa quanto ao filme. Primeiro por ter Drummond como a única voz, ele conta sua história e suas impressões da vida, de Minas e do Rio. Segundo por ser um filme de Fernando Sabino! Quanta coisa bacana não era esperada... e conhecemos mais o Drummond, que ainda brincava muito e ria e era uma dessas pessoas aparentemente normais que andam por aí. O filme é meio devagar, admito, mas vale a pena, porque o poeta se desenvolve nele e vemos muito mais do que suas palavras escritas.

HISTÓRIAS SEMELHANTES

1 comentários

  1. Ai, Drummond!

    Olha eu aqui de blog também!

    vamos blogar :)

    beijos

    ResponderExcluir

Contato | Parceria

Nome

E-mail *

Mensagem *