Jornal velho

15:11

Para ler jornal, tem que se acostumar. Outro dia recebi uma ligação do jornal que leio, me oferecendo mil e uma vantagens para assiná-lo mais barato, quase de graça e ainda ganhar muito com isso. Como atualmente não estou muito de ganhar e gastar, fui simpática, mas neguei. No dia seguinte, jornal na porta.

Já faz uma semana que recebo o jornal. Gosto muitíssimo dele, é completo, tem matérias muito legais e me acostumei a lê-lo, dando agonia quando não sei as notícias do dia. Mas, visitas importantíssimas chegaram e atrasei o jornal.

Adorei minhas visitas, fico cada dia mais feliz em ver as pessoas amadas e que me fazem muito muito bem. Mostrei minha nova cidade a elas e as fiz se divertir e me conhecer em um novo ambiente. A grande agonia, entretanto, continuava me atazanando o juízo: o jornal chegava todas as manhãs e não dava conta dele. Levava o caderno de cultura pra passear e o resto ficava lá, somando no revisteiro, papel em cima de papel, poeira acumulando, notícia ficando velha.

Uma das visitas já retornou à minha outra cidade e a casa ficou vazia novamente. Estou começando a leitura dos jornais velhos e novos, cortando umas partes dos mais antigos, que se repetem e atualizam a cada nova matéria. Ler jornal velho é uma arte ou coisa de gente com manias, algo que estou descobrindo cada dia mais forte em mim.

Fico pensando, com a pilha de jornais do meu lado, se não sou dessas pessoas com transtorno obsessivo compulsivo, que tem aquelas agonias com algumas coisas e que somadas, mostram o grau de doidice: jornais velhos, somar algarismos das placas de carro e ver se dividem exatamente por 3, mania de arrumar a casa, toda semana definir o dia ideal pra lavar roupas, levando em conta as condições do clima...

Doença ou não, passo o olho no jornal impresso e acabo esquecendo de ver o da televisão, substituo meu adorado audiovisual pelas letras em colunas, a cada segundo mais ultrapassadas. É que tenho a idéia de que as notícias fazem parte dos meus estudos, já que quem vive de comunicação e arte deve saber o que ocorre por aí. Aí, como num ciclo, entro na neurose do jornal da tv, que atualiza a cada hora as notícias e fico mais doente por elas. Daqui a pouco, acordarei mais cedo para ouvir o noticiário da rádio, que ouvia antes, quando ia trabalhar em Salvador. O máximo que vai acontecer é escrever textos comentando os fatos com um ibope menor, já que todo mundo sabe pelo menos o básico do que acontece no mundo.

HISTÓRIAS SEMELHANTES

1 comentários

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    somar as placas dos carros e dividir por 3 é óoootimo! já pensou em pegar esses numeros e apostar?
    admito que ja fiz isso huaheuaheuahua

    ResponderExcluir

Contato | Parceria

Nome

E-mail *

Mensagem *