Instantâneos de Felicidade

21:21

Henri Cartier-Bresson, 1969
Boulevard Diderot, Paris


Voltar pra casa é legal. Rever todo mundo, encontrar as pessoas... mesmo na correria do pouco tempo, deu pra fazer alguma coisa. Fica um sentimento engraçado. Quando estamos chegando é uma alegria de ver rostos ansiosos por você e você por eles... ao tempo que quando vamos embora, não é mais um desespero, mas uma espera, mais um momento de lembrança e saudade. Sem tanto drama, com mais tranquilidade e leveza. Depois que escancaramos a porta de casa e colocamos as sacolas para fora, ir e vir vira visita de gente que já é da casa.

Voltei ao Rio. Vim logo para um trabalho que apareceu, caiu como uma luva em meus tempos mortos. Estou acompanhando no Centro Cultural Banco do Brasil, a Mostra ACIE - Associação dos Correspondentes da Imprensa Estrangeira no Brasil, quinta edição este ano. A mostra apresenta 16 filmes brasileiros, entre eles os ótimos: A Casa de Alice, Santiago, Jogo de Cena, Tropa de Elite e O Cheiro do Ralo que concorrem às categorias clássicas de festivais e mostras. Meu trabalho é apresentar estes filmes e pedir ao público que vote para a categoria Júri Popular.

O legal é que vou conhecendo pessoas de todo o tipo, como quando eu estagiava na GPW - videolocadora. Encontrar o público é bacana, porque percebemos pontos de vista distintos do que estamos acostumados em nossas críticas exigentes e arrogantes. Quem trabalha ou estuda cinema não libera os filmes, mas não percebemos que nossa opinião não quer dizer muita coisa... não fazemos o filme para nós, afinal de contas. Acabo ouvindo opiniões completamente opostas às minhas e procuro investigar o olhar das pessoas nestes filmes... às vezes acabo concordando com elas e baixo minha guarda.

Entre as sessões dos filmes que não assisto, fico perambulando pelo CCBB, tomo café, converso com os funcionários e bisbilhoto a livraria. Numa dessas passeadas, me deparei com o catálogo da exposição Instantâneos de Felicidade. A expo aconteceu no fim do ano passado, é da Coleção Maison Européenne de la Photographie - Paris e reuniu fotografias que significavam momentos de grandes alegrias, situações únicas e bonitas. Dei uma olhada no catálogo em promoção, enrolei daqui e dali, acabei comprando. Tem Sebastião Salgado, Henri Cartier-Bresson, Pierre Verger e vários outros fotógrafos que não conheço. São imagens muito bonitas e que te deixam pensando... naturalmente me encantei com elas e acabei sorrindo junto com a alegria de seus personagens, feito menina apaixonada. É uma pena ter perdido a exposição, mas o catálogo garante as fotos, um resumo da vida dos fotógrafos e mais alguns detalhes.

Minhas aulas começam na segunda e já tô agoniada pra voltar a estudar oficialmente. Conto com a ajuda de todos os nossos santos dos quatro cantos para cumprir as metas da semana... encontrar outro trabalho e um lugar legal pra morar nos próximos meses. Vamos ver o que acontece. Prometido para breve: críticas de filmes e mais coisas interessantes.

HISTÓRIAS SEMELHANTES

3 comentários

  1. Sempre divertido trabalhar interagindo e conhecendo novos pontos de vistas. É dificil aceitar opnia dos outros, qnd as nossas já estao formadas! É complicadissimo! Principalmente qnd encasquetamos com algo! Whatever.... Beijao econtinue se divertindo horrores! =*

    ResponderExcluir
  2. Tatiii que bommm! fico feliz por vc!
    as coisas estao acontecendo..
    vai dar tudo certo!
    beijão

    ResponderExcluir
  3. essa foto tem no meu livro da escola e e para mim fazer um texto por ela
    haaaaaaaaaa....

    ResponderExcluir

Contato | Parceria

Nome

E-mail *

Mensagem *